Participants

Dernière mise à jour : 10/11/2014

Erik van Achter KU Leuven

Erik Van Achter estudou Filologia Germânica  na Universidade de Gent (Flandres/Bélgica) concentrando-se em Teoria da Literatura e em Estudos Americanos. Foi Fulbright Fellow na Universidade de Chicago (American Studies), mas alterou o seu percurso académico, estudando português na Universidade de Coimbra, culminando numa tese de doutoramento acerca da natureza do Conto Literário Moderno, defendida na Universidade de Utrecht (Países-Baixos). Publicou vários ensaios acerca da teoria do conto, e acerca do conto em português, sobretudo em Narrativa Breve, a revista da Universidade de Aveiro, e em Estudos Literários, revista do Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra, onde é investigador afiliado. Foi professor convidado nas Universidades de Dublin (DIT) e de Coimbra (Portugal), e no ano passado, na Brown University com o apoio da FLAD. Ensina inglês na Faculdade de Engenharias Aplicadas da Universidade Católica Flamenga (KULeuven /Bélgica) e foi-lhe atribuìdo recentemente o prémio de Erasmus Life Long Learning o que lhe permite pesquisar nas universidades de Hamburgo (Alemanha) e Uppsala (Suécia) acerca do género short story cycle.

Onésimo Teotónio Almeida Brown University

Onésimo Teotónio Almeida was born in S. Miguel, Azores, in 1946. He graduated from the Portuguese Catholic University, Lisbon, in 1972. He received his MA (1977) and PhD (1980), both in Philosophy, at Brown University, Providence, Rhode Island, where he has been teaching Portuguese Cultural and Intellectual History since 1975, and as a Full Professor since 1991. From 1992 to 2003 he was Chair of the Department of Portuguese and Brazilian Studies. He also teaches a course on Values and Worldviews for the Wayland Collegium, a center for interdisciplinary studies. He doubles as a scholar and as an author, having also written short stories, plays, and crónicas.
He is the author and editor of numerous books. The most recent are Pessoa, Portugal e o Futuro, 2014; Utopias em Dói Menor – conversas transatlânticas com Onésimo, 2012; Onésimo. Português sem Filtro, 2011; O Peso do Hífen, Ensaios sobre a experiência luso-americana, 2010; De Marx a Darwin – A desconfiança das ideologias, 2009 (Prize Seeds of Science for the Social sciences and Humanities, Ciência Hoje, 2010). His book of Portuguese-American short stories, Sapa(teia) Americana, first published in 1983, was rereleased by Salamandra in 2000, and again by Círculo de Leitores in 2002. His book Mensagem – uma Tentativa de Reinterpretação (1987) won the Roberto de Mesquita essay prize.
He is the author of more than two hundred essays published in various collective volumes and academic journals; and of hundreds of articles published in newspapers and other periodicals. For many years he was a regular columnist for the literary journal LER. He continues to write frequently for the Jornal de Letras, and is a frequent contributor to the Portuguese press in the US and Canada. He was the founder, and continues to serve as director, of Gávea-Brown Publications, which publishes English translations of Portuguese literary works and of studies in Portuguese culture. He also founded and is the co-editor of Gávea-Brown, a journal specializing in the recording of the Portuguese experience in North America. He is co-editor of the recently created e-Journal of Portuguese History, a joint-venture by Brown University and the University of Porto.
He is a member of the editorial board of several professional journals, as well as a member of various professional organizations. He was elected member of the Academia Internacional de Cultura Portuguesa, Lisbon. He has given hundreds of lectures, mostly throughout the United States and Canada, and all over Europe, as well as in Africa and Central and South America. Since 1979 he has been the host of a bi-monthly socio-cultural talk show (« Daqui e da Gente ») on the Portuguese Channel, in New Bedford, Massachusetts. Throughout 2001-2003, he also hosted a weekly talk show (“Onésimo à conversa com…”) on RTP-Açores, later broadcast worldwide by RTP-International. He was a member of the Board of the Rhode Island Committee for the Humanities from 1995 to 2001, and its Vice-President from 1998 to 2000. He is also a past President of the ACIA (Cultural Association of the Atlantic Islands), and has served as Vice-President of the AIL (Associação Internacional de Lusitanistas). The recipient of various awards, Professor Almeida has been named an « Oficial da Ordem do Infante D. Henrique » by the President of Portugal.He was elected to the Academia da Marinha (Lisbon), to the Academia Internacional de Cultura Portuguesa (Lisbon). He has received an Honorary Degree from the University of Aveiro, Portugal.

Catarina Pereira Almeida Université Sorbonne Nouvelle Paris 3

Licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Universidade Nova de Lisboa- Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Tem uma Pós-Graduação em História de Arte Contemporânea da mesma universidade. Fez depois o seu Mestrado em Estudos Lusófonos na Universidade Paris-Sorbonne trabalhando eixos como: A Questão do Corpo Erótico e Sacrificial em António dos Santos Lopes – narrador e protagonista de ‘Manhã Submersa’ de Vergílio Ferreira; A Construção metafísica do corpo na obra ‘Em nome da terra’ de Vergílio Ferreira. Professora de Português em França (entre 2009 – 2013) no Instituto Camões de Paris e na Academia de Versalhes. Participação no Colóquio Internacional Poetics Of Selfhood: Writing And Other Constructions, na Faculdade de Letras, Universidade de Lisboa, em 2014 com a comunicação: ‘Des pèlerinages comme des néons dans le désert – Pour une approche queer dans l’œuvre d’Al Berto’. Participação no encontro do CREPAL em maio de 2014 com a comunicação: ‘Cintilações: corpo (s) e vida (s) na obra de Al Berto’. Actualmente inscrita no 2º ano de Doutoramento sob a orientação da Professora Catherine Dumas (C.R.E.P.A.L., Université Sorbonne Nouvelle-Paris 3) com a tese : A subjectivação no discurso poético de Al Berto ou as viagens do corpo. Assume igualmente a função de leitora de Português na Universidade Lille 3.

Diana Andringa Centro de Estudos Sociais (CES)

Diana Andringa nasceu em 1947, no Dundo, Lunda-Norte, Angola, vindo para Portugal em 1958. Em 1964 ingressou na Faculdade de Medicina de Lisboa, que abandonou para se dedicar ao jornalismo. Em 1968, frequentou o 1º Curso de Jornalismo criado pelo Sindicato dos Jornalistas e entrou para a Vida Mundial, de onde saíu no âmbito de uma demissão colectiva. Desempregada, foi copy-writer de publicidade, trabalho que a prisão pela PIDE, em janeiro de 1970, interrompeu. Condenada a 20 meses de prisão por apoio à causa da independência de Angola, voltou ao jornalismo. De 1978 a 2001 foi jornalista na RTP, onde realizou o documentário José Rodrigues Miguéis: um homem do povo na história da República (1998). Foi também cronista no Diário de Notícias, na RDP e no Público e fugaz directora-adjunta do Diário de Lisboa. Actualmente documentarista independente (Timor-Leste: O sonho do Crocodilo (2002); Guiné-Bissau: As duas Faces da Guerra; Dundo, Memória colonial (2009); Tarrafal: Memórias do Campo da Morte Lenta (2010)) regressou à Universidade, doutorando-se em Sociologia da Comunicação pelo ISCTE em 2013.

Humberto Lima de Aragão Filho Faculdades integradas Rio Branco

Inicia a vida acadêmica na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais. Deixa o curso de Direito para estudar no Seminário Teológico Presbiteriano de Campinas, onde se torna Bacharel em Teologia. Em seguida, cursa Filosofia na Universidade de Mogi das Cruzes. Em 1991, gradua-se em Letras pela Universidade de São Paulo, onde obtém, posteriormente, os graus de Mestre e Doutor. Sua tese de doutoramento, intitulada
A intencionalidade do tríptico de Lisboa, versa sobre a obra do escritor José Rodrigues Miguéis. Participa como conferencista (ao lado de José Saramago, Dr. Mário Soares e Dra. Teresa Martins Marques, dentre outros) do Colóquio Internacional comemorativo ao centenário de nascimento de José Rodrigues Miguéis, no Padrão dos Descobrimentos, em 2001. Possui ensaios publicados pela revista Mestrado em Direito – do Centro Universitário Fieo – Osasco, São Paulo, pela Gávea-Brown – A Bilingual Journal of Portuguese-American Letters and Studies – da Brown University, Providence, RI, e pela Videre Futura – revista das Faculdades Integradas Rio Branco. Escreveu o prefácio do livro Análise de Sistemas Orientada ao Sucesso (Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2005).
Atualmente, é professor dos cursos de Direito, Relações Internacionais, Comunicação Social, Design e EAD das Faculdades Integradas Rio Branco. Professor Convidado da Escola Paulista da Magistratura (EPM). Prefaciou e organizou o volume crítico Um exílio chamado saudade: antologia sobre José Rodrigues Miguéis (São Paulo, Editora Intermeios, 2014) reunindo ensaios de Massaud Moisés, Adolfo Casais Monteiro, João Alves das Neves, Cassiano Nunes, Jorge de Sena, Georges da Costa, Onésimo Teotónio Almeida e Teresa Martins Marques.

Ana Paula Coutinho Universidade do Porto

Professora Associada do Departamento de Estudos Portugueses e Estudos Românicos da FLUP. Doutorada em Literatura Comparada com uma tese sobre as relações entre a obra de António Ramos Rosa e a poesia e ensaio francófonos (Mediação Crítica e Criação Poética em António Ramos Rosa, Prémio Ensaio Pen Club, 2004). Tem leccionado e publicado vários estudos nas áreas das Literatura Portuguesa e Francesa Contemporâneas, bem assim como da Literatura Comparada, tanto em Portugal como no estrangeiro. Enquanto Investigadora da I&D “Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa”,de cuja Direcção faz parte, tem desenvolvido estudos sobre as representações literárias e artísticas das Migrações e Exílios e publicou, a propósito, entre vários outros estudos esparsos, Lentes Bifocais. Representações da Diáspora Portuguesa do Século XX (2009). Interessa-se, em geral, pela Literatura Contemporânea e pela sua intersecção com outras áreas do conhecimento e expressões artísticas.

Georges Da Costa Université de Caen Basse-Normandie

Maître de conférences en Langue, littérature et civilisation portugaises à l’Université de Caen Basse-Normandie depuis 2012, après avoir été pendant près de vingt ans enseignant de mathématiques et sciences physiques dans le secondaire. Auteur d’une thèse de doctorat soutenue à l’Université Sorbonne Nouvelle – Paris 3 (2010) et d’un livre (à paraître) portant sur l’oeuvre de José Rodrigues Miguéis : Éthique et esthétique de l’ironie chez José Rodrigues Miguéis (Paris : Éditions Pétra, 2014). Membre de l’Équipe de recherche sur les Littératures, les Imaginaires et les Sociétés (ERLIS, Université de Caen Basse-Normandie). Membre associé du Centre de Recherches sur les Pays Lusophones (CREPAL, Université Sorbonne Nouvelle – Paris 3). Co-fondateur de l’association Autres Brésils (www.autresbresils.net).

Catherine Dumas Université Sorbonne Nouvelle Paris 3

Catherine Dumas est professeur émérite de civilisation, langue et littérature portugaises à l’université de la Sorbonne Nouvelle-Paris 3. Elle est l’auteur d’une thèse de doctorat intitulée Mystère et réalité dans l’œuvre d’Agustina Bessa-Luís, et d’un livre sur le même auteur, Estética e Personagens (Campo das Letras, 2001). Elle s’intéresse en particulier, depuis quelques années, au croisement des écrits de l’intime et du discours poétique, ainsi qu’aux questions de genre. Elle a publié de nombreux articles sur la fiction contemporaine portugaise et brésilienne, en particulier Wenceslau de Morais, Miguel Torga, Irene Lisboa, Luísa Dacosta, Maria Ondina Braga, Fernanda Botelho, Clarice Lispector, A. Lobo Antunes, Guimarães Rosa… et sur la poésie : Florbela Espanca, José Gomes Ferreira, A. Ramos Rosa, Ana Hatherly, Ana Luísa Amaral, Eucanaã Ferraz… Elle a traduit des livres de poésie, de théâtre et de journaux qu’elle organise et préface.
Entre autres : Ana-Luísa Amaral, Imagens/Images, éditions de Vallongues, Pau, 2000. Pedro Lyra, Vision de l’être, L’Harmattan, Paris, 2000. Ana Hatherly, Théâtres de la Parole, Pau, Vallongues, 2002 (Prix Evelyne Encelot 2003). Ana Hatherly, L’invention de l’écriture, Pagined’Arte, 2013. Anthologie de la jeune poésie portugaise – 24 poètes, Bacchanales n°33, Maison de la Poésie Rhône-Alpes, Saint Martin d’Hères, 2004. Eduarda Dionísio, Avant la tombée de la nuit, Fédérop, 2004. Hilda Hilst, De l’amour, Paris, éditions Caractères, 2005. Gilberto Mendonça Teles, La syntaxe invisible, Paris, Caractères, 2006. Maria Teresa Horta, Les sorcières. Feiticeiras, Arles, Actes Sud / Musicatreize, 2006. Teresa Rita Lopes. Le vie en vers, Editions de La Différence, Paris, 2006. Ana Marques Gastão. Nœuds. 25 poèmes sur 25 tableaux de Paula Reg. Le Pont du Rôle, fédérop, 2007. Marcello Duarte Mathias, A contre-jour. Journaux, Paris, La Différence. Luís Cardoso, Requiem pour Alain Gerbault, Toulouse, Arkuiris, 2014.

Francisco Cota Fagundes University of Massachusetts Amherst

Francisco Cota Fagundes nasceu na Agualva, Terceira, Açores e emigrou para os Estados Unidos em 1963. Doutorou-se em Línguas e Literaturas Hispânicas na Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Professor Catedrático de Português na Universidade de Massachusetts Amherst onde leciona desde 1976, já assinou, coordenou, co-coordenou, traduziu e co-traduziu mais de 30 livros. Entre os escritores que tem estudado, e nalguns casos traduzido, contam-se Fernando Pessoa, Jorge de Sena, Vitorino Nemésio, Branquinho da Fonseca e José Rodrigues Miguéis. Também se tem debruçado sobre a obra de escritores da Diáspora Norte-Americana, como Onésimo Teotónio Almeida, José Costa, Laurinda Andrade, Lawrence Oliver e Charles Reis Felix. Assinou uma autobiografia, No Fio da Vida, e vai editar um relato de doença inspirado por uma doença grave sofrida pelo seu filho, Evan Anthony.

Ana Aguilar Franco Universidade de Lisboa

Ana Cristina Aguilar Costa Franco doutorou-se em Literatura e Cultura, na especialidade de Estudos Americanos, com a tese José Rodrigues Miguéis: Viajante entre Culturas; obteve o mestrado em Estudos Anglísticos, com a dissertação Ralph Waldo Emerson: Uma Reflexão sobre a sua Poesia. É também investigadora do Centro de Estudos Anglísticos da Universidade de Lisboa (CEAUL) e leccionou na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e no Instituto Superior de Novas Profissões. Tem apresentado e publicado comunicações em diversas áreas: Literatura e Cultura Americana, Literatura e Cultura Portuguesa, Ensino do Português como Língua Estrangeira, Tradução e Luso-americanidade.

Laerte Levai Universidade de São Paulo (USP)

Doutorando em Literatura Portuguesa pela Universidade de São Paulo (FFLCH/USP). Mestre em Direito Ambiental pela UNISAL/Lorena. Especialista em Bioética pela FM/USP. Pesquisador do DIVERSITAS (Núcleo de estudos das Diversidades, Intolerâncias e Conflitos – FFLCH/USP). Promotor do GAEMA (Grupo de Atuação Especial em Defesa do Meio Ambiente)- São Paulo.

Eduardo Lourenço

Ensaísta português, nasceu a 29 de maio de 1923, em S. Pedro de Rio Seco, Almeida. Formado em Ciências Histórico-Filosóficas pela Universidade de Coimbra, onde foi professor entre 1947 e 1953, lecionou depois em várias universidades, como a da Baía, no Brasil, e nas Universidades de Hamburgo, Heidelberg, Montpellier, Grenoble e Nice. Fixando residência em Vence, lecionou, até à sua jubilação, na Universidade de Nice. Publica, em edição de autor, o seu primeiro livro Heterodoxia I  em Novembro de 1949. Ao seu livro Pessoa Revisitado – Leitura Estruturante do Drama em Gente é atribuído o Prémio Casa da Imprensa (1974). Em 10 de Junho de 1981, é condecorado com a Ordem de Sant’Iago d’Espada. Pelo seu livro Poesia e Metafísica  recebe, no ano de 1984, o Prémio de Ensaio Jacinto Prado Coelho. Dois anos mais tarde, é distinguido com o Prémio Nacional da Crítica graças a Fernando, Rei da nossa Baviera . Por ocasião da publicação da sua obra Nós e a Europa – ou as duas razões , é galardoado com o Prémio Europeu de Ensaio Charles Veillon, que distingue o conjunto da sua obra. Dirige, a partir do Inverno de 1988, a revista Finisterra – Revista de Reflexão e Crítica . É nomeado Adido Cultural junto da Embaixada de Portugal em Roma. É condecorado com a Ordem do Infante D. Henrique (Grande Oficial). Recebe, no dia 1 de Julho de 1992, o Prémio António Sérgio. Participa no Parlamento Internacional de Escritores que decorre entre 28 e 30 de Setembro de 1994 em Lisboa. Pela sua obra O Canto do Signo  recebeu em 1995 o Prémio D. Dinis de Ensaio. Nos últimos anos, Eduardo Lourenço recebeu inúmeras distinções, entre as quais se destacam: Prémio Camões (1996), Officier de l’Ordre de Mérite pelo Governo francês (1996), Chevalier de L’Ordre des Arts et des Lettres pelo Governo francês (2000), Prémio Vergílio Ferreira da Universidade de Évora (2001), Medalha de Ouro da Cidade de Coimbra (2001), Cavaleiro da Legião de Honra (2002), Prémio da Latinidade (2003), Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada (2003), Prémio Extremadura a la Creación (2006), Medalha de Mérito Cultural pelo Governo português (2008), Medalha de Ouro da Cidade da Guarda (2008) e Encomienda de Numero de la Orden del Mérito Civil pelo Rei de Espanha (2009). Eduardo Lourenço é ainda Doutor Honoris Causa pelas Universidades do Rio de Janeiro (1995), Universidade de Coimbra (1996), Universidade Nova de Lisboa (1998) e Universidade de Bolonha (2006). Desde 2002 exerce as funções de administrador não executivo da Fundação Calouste Gulbenkian. Em Dezembro de 2011, foi-lhe atribuído o Prémio Pessoa. Em 2013, foi distinguido com o Prémio Jacinto do Prado Coelho pela obra Tempo da Música. Música do Tempo.

Álvaro Manuel  Machado Universidade Nova de Lisboa

Álvaro Manuel Machado é professor catedrático jubilado da Universidade Nova de Lisboa, tendo-se doutorado em Literatura Comparada na Sorbonne (Paris III). Ensaísta, crítico literário, romancista e poeta, tem uma vasta obra publicada, destacando-se a ensaística e a de investigação científica, sobretudo no domínio da Literatura Comparada relacionada com o Romantismo europeu: A Geração de 70 – Uma Revolução Cultural e Literária (1977), A novelística portuguesa contemporânea (1977, 2ª ed., rev. e aum., 1984), Agustina Bessa-Luís – O Imaginário Total (1983), Raúl Brandão entre o Romantismo e o Modernismo (1984), O Romantismo na poesia portuguesa – De Garret a Antero (1986), Da Literatura Comparada à Teoria da Literatura (com Daniel-Henri Pageaux,1988), Do Romantismo aos Romantismos em Portugal – Ensaios de tipologia comparativista (1996). Organizador, director e colaborador do Dicionário de Literatura Portuguesa da Editorial Presença.

Karina Marques Université Sorbonne Nouvelle Paris 3

Seus trabalhos de pesquisa são centrados na literatura de exílio, dentro do universo lusófono, durante o século XX. Após um mestrado sobre Carlos Batista e Brigitte Paulino-Neto, escritores descendentes de imigrantes portugueses na França, focado na questão do percurso de exílio e da dupla-pertença cultural, prepara-se para defender uma tese de doutorado sobre a identidade judaica e de gênero nas obras de dois escritores exilados em Portugal e no Brasil, no contexto da Segunda Guerra Mundial: Ilse Losa e Samuel Rawet.

Teresa Martins Marques Universidade de Lisboa

Teresa Martins Marques é doutorada em Literatura e Cultura, na especialidade de Estudos Portugueses, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Investigadora integrada no Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias, da mesma Universidade, onde coordena, no Grupo 1 de Literatura Portuguesa, os estudos na área da Biografia. Membro da equipa do Instituto de Lexicologia e Lexicografia da Academia das Ciências de Lisboa, entre 1992 e 1995, com funções específicas de coordenação da nomenclatura literária. Dirigiu a equipa de organização do espólio de David Mourão-Ferreira, na Fundação Calouste Gulbenkian, entre 1997 e 1999. Dirigiu e prefaciou a Edição das Obras Completas de José Rodrigues Miguéis, em 13 volumes, (Círculo de Leitores,1994-1996). Tem abundante colaboração em jornais e revistas especializadas – Colóquio-Letras, Foro das Letras, Relâmpago, O Escritor, Mealibra, Letras Com Vida, Matraga, Metamorfoses (Rio de Janeiro) , Navegações (Rio Grande do Sul).
Publicações em Livro : Ensaio: Si On Parle du Silence de la Mer – 1985 (Sobre a novela de Vercors, Le Silence de la Mer.) O Eu em Régio: A Dicotomia de Logos e Eros. Prémio de Ensaio José Régio / 1989, 1ª edição 1993. 2ª edição 1994. O Imaginário de Lisboa na Ficção Narrativa de José Rodrigues Miguéis, 1ª edição com prefácio de David Mourão-Ferreira, 1994, 2ª edição-1996, 3ª edição – 1997. Leituras Poliédricas – 1ª edição 1996, 2ª edição, refundida e aumentada com prefácio de Maria Lúcia Lepecki, 2002. (Principais estudos sobre : Cesário Verde, Gomes Leal, Raul Brandão, José Régio, José Rodrigues Miguéis, Vitorino Nemésio, João de Melo, Fernando Aires, Onésimo Teotónio de Almeida, Eugénio Lisboa e João Medina.) Clave de Sol – Chave de Sombra. Memória e Inquietude em David Mourão-Ferreira (policópia- 2011). Ficção: Carioca de Café (conto) – 2009. A Mulher que Venceu Don Juan (romance) – 2013.
Colaboração ensaística inserta nos seguintes volumes colectivos: Ensaios Críticos sobre José Régio, Porto, 1994; Trinta Anos de José Régio,Vila do Conde, 1999; Letras, Sinais para David Mourão-Ferreira, Osório Mateus e Margarida Vieira Mendes, Lisboa,1999; José Rodrigues Miguéis – Uma Vida em Papéis Repartida, Lisboa, 2001; Catálogo da Exposição Comemorativa do Centenário de José Rodrigues Miguéis, Lisboa, 2001; Portugal e o Outro: Textos de Hermenêutica Intercultural, Aveiro, 2005; Jorge de Sena: Ressonâncias e Cinquenta Poema , Rio de Janeiro, 2006; Conto Português – Séculos XIX-XXI – volume 1 (2006) e volume 2, Porto, 2009; Livro de Homenagem a David Mourão-Ferreira, Porto, 2008; Viana a Várias Vozes, Viana do Castelo, 2009; Literatura e Cidadania no século XX, Lisboa, 2010; Era uma vez o seu Tempo – Homenagem póstuma a Fernando Aires, Braga, 2011; D. João VI e o Oitocentismo, Rio de Janeiro, 2011.
Membro de diversos júris de romance, novela, conto, poesia, ensaio, literatura biográfica da Associação Portuguesa de Escritores, do Pen Club Português, da Associação Portuguesa de Críticos Literários, que premiaram Eduardo Lourenço, Maria Helena da Rocha Pereira, Maria Velho da Costa, João Rui de Sousa, Vasco Graça Moura, Francisco José Viegas, Hélia Correia, Manuel de Freitas. Membro do Pen Club, da Associação Portuguesa de Críticos Literários e da direcção da Associação Portuguesa de Escritores, desde 2008.

João Medina Universidade de Lisboa

João Medina, professor catedrático jubilado de História na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, nasceu em Lourenço Marques (hoje Maputo), em Moçambique (1939), licenciou-se em Filosofia na Universidade de Lisboa (1966) e doutorou-se em Sociologia na Universidade de Estrasburgo (1970), tendo ensinado, de 1970 a 1974, na Universidade da Provença ( Aix-en-Provence, França). Após o 25 de Abril de 1974, regressou ao seu país, ingressou na universidade e foi Director-Geral no Ministério da Comunicação Social (1975-1977), regressando depois ao ensino universitário na Faculdade de Letras de Lisboa, jubilando-se em 2008. Ensinou ainda nas Universidades de Colónia (Alemanha), Pisa (Itália), USP (São Paulo, Brasil), Johns Hopkins University e, por duas vezes (1993 e 1997) na Brown University (Estados Unidos). Fez conferências nos Estados Unidos da América do Norte, Espanha, Brasil (Universidades de Brasília, USP, Unicamp, Araraquara, Assis, etc.), Alemanha (Bona, Rostock, Francoforte e Colónia), Itália, França, Moçambique (Universidade Eduardo Mondlane), Israel, etc. Foi director da Revista da Faculdade de Letras de Lisboa (1993-1997) e, de 2002 a 2009, da revista Clio. Dirigiu, o Centro de História da Universidade de Lisboa (2002 a 2005). Foi agraciado com o grão-oficialato da comenda do Infante D. Henrique (2011). Colaborou em diversos jornais e revistas antes do 25 de Abril (Diário de Lisboa, Seara Nova, Vértice, Diário Ilustrado) e depois dessa data (Diário de Lisboa, Diário Popular, Diário de Notícias, Revista de Occidente, Europe, etc). Foi Director–Geral da Divulgação, no Palácio Foz (Ministério da Comunicação Social), de 1975 a 1977, tendo criado as edições Terra Livre, obras distribuídas gratuitamente, tratando de temas de história, cultura e documentação portuguesa.
É autor de uma extensa obra distribuída pela historiografia, pelo ensaio literário e pelo romance. Dirigiu uma História de Portugal (15 vols, 1994; reed. 1998 e 2002), tendo publicado ainda, A Ilha está cheia de Vozes (romance, Lisboa, 1971, reed. em 1978), Salazar e os Fascistas (1979), Eça e a Geração de 70 (Lisboa, 1980), As Conferências do Casino e o Socialismo em Portugal (1984), Oh! a República!…(Lisboa, 1990), Morte e Transfiguração de Sidónio Pais (1994), Salazar, Hitler e Franco (Lisboa, 2000), Reler Eça (Lisboa, 2002), Ulisses o Europeu (Lisboa, 2000), Memórias do Gato que ri (romance, Lisboa, 2002), Dois Exilados alemães (Lisboa, 2003), Zé Povinho sem Utopia (Cascais, 2004), Ortega y Gasset no Exílio português (Lisboa, 2004), Auschwitz e Moscovo (Lisboa, 2006), Portuguesismo(s)(Lisboa, 2006), Náufragos do Mar da Palha (romance, 2006), O “Presidente-Rei” Sidónio Pais (Lisboa, 2007), Caricatura em Portugal (Lisboa, 2008), Os meus Vícios (Vª.Nª de Famalicão, 2011), A minha América (Guimarães, 2012), Saudades da Provença (Lisboa, 2013), etc.

Duarte Miguel Barcelos Mendonça  Teatro Municipal Baltazar Dias

Duarte Miguel Barcelos Mendonça é natural do Funchal, e fez a sua formação académica na Universidade da Madeira, tendo concluído a Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas, variante Francês/Inglês, no ano 2000, e o Mestrado em Cultura e Literatura Anglo-americanas, em 2003, durante o qual elaborou uma tese sobre a presença madeirense em New Bedford, Estados Unidos, no século XX. É colaborador da imprensa regional e norte-americana de expressão portuguesa, tendo diversos artigos publicados no Diário de Notícias, Jornal da Madeira, Portuguese Times e nas revistas ‘Islenha’, ‘Xarabanda Revista’, ‘Girão’ e ‘Margem 2’, e ainda no ‘Mundo Português’ e ‘ComunidadesUSA’, de Nova Iorque. Já publicou cinco obras, nomeadamente a biografia João de Lemos Gomes (1906-1996) – Médico Cirurgião (Funchal 500 Anos, 2006); Da Madeira a New Bedford – Um capítulo ignorado da emigração portuguesa nos Estados Unidos da América (Drac, 2007); a antologia Impressões de uma viagem à América, contendo uma recolha, revista e comentada, de textos do Pe. Alfredo Vieira de Freitas, (Câmara Municipal de Santa Cruz, 2009); e a tradução (do inglês e do francês) Memórias da Minha Vida – Um Inverno na Madeira, de Maximiliano de Habsburgo e Carlota da Bélgica (Sopa de Letras/Principia, 2011); e Carlos e Zita de Habsburgo: Crónica de um Exílio Imperial na Cidade do Funchal (Câmara Municipal do Funchal, 2013). Foi um dos responsáveis pela edição em CD das gravações históricas do tenor madeirense Lomelino Silva e do Grupo Folclórico da Casa do Povo da Camacha. Tem participado em diversos colóquios realizados na Madeira, nos Açores, em Lisboa e nos Estados Unidos, onde apresentou diversas conferências. Presentemente ocupa o cargo de Director do Teatro Municipal Baltazar Dias, na cidade do Funchal.

Pierre-Michel Pranville Université Sorbonne Nouvelle Paris 3

En reprise d’études de portugais après une carrière dans le transport aérien, Pierre Michel Pranville, chargé de cours et doctorant à Paris 3, passionné depuis toujours par la littérature policière, a consacré ses sujets de mémoire de Master et sa thèse à l’étude du roman policier lusophone. Titre de la thèse : « Le décloisonnement du genre policier de 1974 à 2004 au Portugal : le crime et l’enquête au cœur des représentations romanesques » (Directrice : Professeur Catherine DUMAS). Articles et communications récents : « L’enquêteur biographe de la victime ou la mort raconte la vie dans Longe de Manaus de Francisco José Viegas et Este é meu Corpo de Filipa Melo ». Journée d’études Circulations dans le Monde Lusophone. CREPAL. Juin 2014. « La victime objet de l’enquête criminelle et sujet d’une analyse sociale de communautés en crise dans le roman policier noir lusophone ». Colloque La notion de « victime » : récits, discours et représentations dans les espaces lusophones et hispanophones. Université de Caen Basse Normandie. Mai 2014. « O Estranho Caso do Romance Policial na Literatura Lusófona ». 1.° Congresso dos Lusitanos Polacos. Cracovia, Universidade Jagellónica. Setembro de 2013. «  »Il va falloir descendre aux archives ! » ou les petits secrets des enquêteurs Artur Cortez, Jaime Ramos et Mário França », in Sigila, Revue transdisciplinaire.franco-portugaise, n°30, Paris, octobre 2012.

Pierre Rivas

Traducteur et Maître de conférences honoraire de Littérature comparée (Université Paris Ouest Nanterre La Défense). Directeur de collection aux Éditions Pétra. Auteur d’innombrables articles et ouvrages portant sur les relations littéraires entre le Brésil, le Portugal et la France.

Ernesto Rodrigues  Universidade de Lisboa

Ernesto Rodrigues (1956) é professor na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Antigo jornalista, leitor de Português na Universidade de Budapeste (1981-1986), publicou 20 obras de poesia e ficção, desde 1973 até ao romance histórico A Casa de Bragança (2013). Tradutor de literatura húngara, prefaciou uma vintena de autores, oferecendo novas edições dos clássicos, caso d’As Farpas Completas ramalhianas (2006-2007) ou de Tomé Pinheiro da Veiga, Fastigínia (2011). Reuniu, em oito volumes, ensaios e uma prática crítica desde 1979, com relevo para Mágico Folhetim: Literatura e Jornalismo em Portugal (1998), que insere um capítulo sobre J. R. Miguéis e O Pão não Cai do Céu, seguido de edição crítica.

Laisser un commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion / Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion / Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion / Changer )

Photo Google+

Vous commentez à l'aide de votre compte Google+. Déconnexion / Changer )

Connexion à %s